Domingo, 1 de Novembro de 2009

Surreal

Tive que ír ao dicionário para ter a certeza do que esta palavra queria dizer para saber se a estaria a aplicar bem.

Segundo a Priberam, Surreal é:

 

(francês surréel)
 

adj. 2 gén.
1. Que apresenta características próprias do surrealismo. = surrealista
2. Que causa ou denota estranheza, não pertencendo à esfera do real. = absurdo, bizarro, estranho
s. m.
3. Aquilo que está para além do real.
 
E eu estou realmente a viver uma situação surreal. É tão estranho e tão incompreensível para mim que nem sei o que pensar nem o que sentir.
Por mais que pense numa ou noutra explicação não consigo encontrar uma que preencha todos os campos.
É complicado ou mesmo quase impossível entrarmos dentro da cabeça das outras pessoas e tentar perceber o que as leva a tomar diversas atitudes; estou esgotada de tanto dar voltas à minha cabeça a tentar perceber o que vai na tua.
Eu tenho um grande defeito (que até quase pode passar por qualidade) mas como acho que as pessoas não têm bolas de cristal para saber o que eu penso ou o que eu sinto ou o que quero digo tudo o mais claramente possível.
E também tento viver de acordo com o lema " não fazer aos outros aquilo que não gostaria que fizesses a mim", então desta forma faço aquilo que gostaria que me fizessem; trato os outros da foma como gostaria que me tratassem; dou de mim tudo o que tenho para dar.
Digo aquilo que sinto hoje, porque o amanhã pode não chegar.
Demonstro porque um gesto vale mais que mil palavras; mas digo também porque as palavras aquecem o coração.
É claro que as pessoas sentem de forma diferente; com intensidades diferentes; sentimentos diferentes, e os sentimentos não se controlam.
Também é legítimo que gostemos que nos aceitem e nos respeitem pelo que somos. O verdadeiro eu sou assim e quem gostar de mim tem de me aceitar como sou; quem não gostar assim azarito.
Compreendo e partilho, mas para que nos aceitem e respeitem como somos, também nós temos que respeitar quem está do outro lado.
Devemos respeitar os sentimentos dos outros, porque os sentimentos são o que de mais puro temos dentro de nós.
Não stou a conseguir colocar em palavras exactamente aquilo que estou a sentir; tenho muitos sentimentos dentro de mim e estou confusa.
Apenas que assim como pode ajudar a construir algo mais sólido, a ausência também pode destruir aquilo que estava em construção.
Muito poucas pessoas conseguem dissociar a parte emociaonal do resto e colocar o coração ON HOLD, enquanto não passa a tempestade, o vento, a chuva a neve ou o que quer que seja que impede um simples, olá estou aqui ou esquece-me!
Preto no branco, sem dúvidas.
Estou a testar os meus limites...
 
 
 
 
 
 

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 09:41
link do post | diz lá... | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

blogs SAPO

subscrever feeds