Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Fica aqui...

Apesar do sol que brilha lá fora, hoje está escuro dentro de mim.

Tenho o coração apertadinho, as lágrimas teimam em cair, parece que tenho uma ligação directa a um qualquer reservatório de água de proporções inesgotáveis.

Estou triste, muito triste porque uma pessoa que está na minha vida há já 30 anos está em vias de partir.

Porque é triste ver no que o tempo e a enfermidade transformam as pessoas.

Porque naquela cama de hospital está apenas um vislumbre de quem sempre foste.

Recordo-me como ainda há poucos dias me dizias e à mana, "fiquem aqui. Fiquem até à meia-noite, não quero que vocês se vão embora."

Agora somos nós que egoisticamente queremos que fiques aqui.

Porque racionalmente sabemos que na realidade já não estás bem aqui, e que talvez  te espere um destino de menor sofrimento.

Tudo isto levou-me a pensar em que raio de vida vivemos, em que temos que andar sempre a correr de um lado para o outro sem tempo para FICAR.

Acordo de manhã, levanto-me, arranjo-me, trato do filhote, pequenos-almoços e despacha-te daqui e dali que já estamos atrasados e lá nos enfiámos no carro para ír para a escola e para o trabalho, para no final do dia fazer o percurso inverso.

Que raio de vida é esta em que mal temos tempo uns para os outros?!

Em que o meu filho me diz que gostava que eu não tivesse trabalho para poder passar mais tempo com ele?!

Em que não passamos tempo com a família, os amigos?!

Em que estamos num sítio a pensar que deveríamos estar noutro ou a fazer uma outra coisa?

Em que pensamos que temos todo o tempo do Mundo; que ele não nos escorre pelos dedos, que poderemos sempre fazer isto ou aquilo... mais tarde.

Porque pensamos sempre e só em nós, como não nos apetece ver esta ou aquela pessoa neste preciso momento, como aquela chamada não vem mesmo nada a calhar, como mais tarde ligo ou mando um mail; outro dia visito...

Mas naquele momento ouvir a nossa voz podia ser o melhor consolo que aquele pessoa podia receber; a nossa visita podia ser o melhor remédio; receber uma mensagem podia colocar-lhe um sorriso nos lábios...

A lição que tiro disto tudo é que me faz falta FICAR mais, PERDER mais tempo, DAR mais amor, Hoje, e não deixar para amanhã, porque o amanhã pode nunca chegar.

Fiz deste o meu lema, mas nem sempre é fácil viver de acordo. Ás vezes são precisas situações extremas para nos fazer olhar a vida de um modo mais crítico; analisar e ver o que podemos melhorar. 

Há algum tempo atrás prometi  a mim mesma que diria às pessoas que amo que as amo todos os dias...

Nem sempre consigo, mas vou continuar a tentar. Um dia de cada vez...

Amo-te! (filhote, pai, mãe, mana, avozinhas, tios, primos, amigos e a ti)

 

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 11:55
link | diz lá... | favorito

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

blogs SAPO

subscrever feeds