Sábado, 12 de Dezembro de 2009

A memória

A memória é traiçoeira e nem sempre joga a nosso favor.

Acho que deve de haver assim uma memória diabinho e outra anjinho como nos cartoons quando aparece a consciência boa e a perversa.

Existem aquelas recordações que são boas, outras que não são boas mas que nos ajudam a esquecer através da raiva e depois todas as outras que estão gravadas cá dentro e que fazem com que esquecer seja impossível, já que nem sequer consigo entender.

E a minha veio de uma conversa super banal com um colega de trabalho que nem faz a mais pálida ideia da dor que aquela conversa tão inocente acabou por despoletar.

Falávamos de sabores de café porque tanto ele como eu temos uma máquina da Nespresso, e ao dizer-me que tinham saído novos aromas café com bolacha e café com castanhas, lembrei-me de como me tinhas dado a experimentar café com cardamomo (especiaria).

E hoje ao passear na Fnac dei comigo a ver os pacotes das X-Files e os livros de culinária, bem como o livro que a tua filha te pediu para o Natal.

Ás vezes penso como é estranho que não nos encontremos na rua, afinal vivemos na mesma terra (que não é assim tão grande).

Confesso que tenho passado os últimos tempos a olhar por cima do ombro com receio de te encontrar. Deixei de frequentar o café onde íamos os dois; no entanto agora acho que gostava de te encontrar.

É que eu tenho esta mania de enfrentar tudo de frente.

Gostava de te olhar nos olhos.

Gostava de perceber.

Gostava de ver se irias fingir que não me conheces, e gostava saber o que iria sentir ao ver-te.

Infelizmente para mim não te tenho raiva, só muita mágoa.

 

 

Adoro esta música...

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 21:53
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Poesia do beijo...

"Um beijo em lábios é que se demora
e tremem no abrir-se a dentes línguas
tão penetrantes quanto línguas podem.
Mais beijo é mais. É boca aberta hiante
para de encher-se ao que se mova nela.
É dentes se apertando delicados.
É língua que na boca se agitando
irá de um corpo inteiro descobrir o gosto
e sobretudo o que se oculta em sombras
e nos recantos em cabelos vive.
É beijo tudo o que de lábios seja
quanto de lábios se deseja."

Jorge de Sena

 

Achei que estas músicas complementavam bem o poema.... e que tanto quanto o poema  também estas letras descrevem toda a profundidade que se pode concentrar num beijo; nas emoções que se podem transmitir, e que o pode transformar num acto de intimidade mais profunda que a própria relação sexual (concordo contigo, amiga).

Um beijo pode aproximar almas de uma forma que trancende o contacto físico...

Kiss me, oh kiss me - David Fonseca

Leve beijo triste - Paulo Gonzo & Lúcia Moniz

Kiss from a Rose - Seal

and on, and on...


sinto-me:
tags: ,
vivido por umdiadepoisdooutro às 16:07
link do post | diz lá... | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Março de 2008

Não importa...

"Não importa se às vezes tudo é breve

como um sopro

não importa se for, uma gota só

De loucura faço oscilar o teu Mundo

e desfaço a fronteira entre a Lua e o Sol"

 

 

 

Importa, apenas e só, AMAR!!!

 

sinto-me:
tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 14:57
link do post | diz lá... | favorito
|
Terça-feira, 11 de Março de 2008

"Rose tinted spectacles"

Sempre tive a tendência para ver o mundo e os outros através de lentes cor-de-rosa ...

Poderia pensar-se que agora que eu sou "older and wiser " já teria perdido a mania, mas parece que não.

Continuo a ser a minha pior inimiga.

Faço filmes na minha cabeça; construo castelos nas nuvens, e depois quandos as coisas não acontecem como eu imaginei (porque nunca acontecem) lá caio eu das nuvens e estatelo-me no chão com um grande estrondo e mais uma mossa no coração.

É claro que a seguir me levanto. Até hoje tenho conseguido levantar-me sempre. Acho que me estou a tornar perita na arte das quedas...

A questão principal acho que é: como quero eu ser daqui para a frente? Quero continuar a ser a romântica inverterada com muitos ossos partidos; ou uma pessoa mais com os pés assentes na terra (da terra o trambolhão já não é tão grande).

Vou ter que pensar nisto...

Não sei se consigo viver sem a adrenalina do sonho, mesmo sabendo das possíveis e muito prováveis consequências.

Obrigado amiga por me teres feito parar para pensar (tu sabes quem ês).

 

A nossa conversa remeteu-me para um filme ao qual já fiz referência anteriormente "Feast of love", e aqui ficam mais duas citações tiradas desse filme que neste momento ilustram o meu estado de espírito e os meus pontos de reflexão:

 

"Everything we need to know is going on rigth in front of our eyes, however our illusions about people, our hopes, they can blind us"

"Do you think that love is a trick or do you thinks it's the only meaning there is to this crazy dream?"

 

 

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 09:22
link do post | diz lá... | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

Dia de São Valentim

Porque é que será que quando estamos sozinhos existem certos dias que parece que ainda intensificam mais a nossa solidão?

Dias festivos que no fim de contas nada mais são que dias iguais aos outros...

Mas porque lhes foi atribuído o significado de dia disto ou daquilo, a mim recorda-me brutalmente de que hoje é o dia daquilo que eu não tenho e daquilo por que anseio... alguém que eu ame e me ame a mim.

Acho que sou mesmo uma romântica inveterada .

Para alguém que há bem pouco tempo saiu de uma relação longa podia ser quase normal que eu tivesse ficado céptica em relação ao amor...

Mas para mim não existe melhor estado de alma do que estar apaixonada.

A vida tem mais cor ; o coração bate mais depressa; tudo parece possível; o tempo pára.

Quem é que pode passar pela vida sem amar?

Mesmo que esse não seja o amor eterno, prefiro mil vezes amar e perder esse amor do que nunca ter amado.

 

 

sinto-me:
tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 09:46
link do post | diz lá... | favorito
|
Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Soulmate

Engraçado como de repente certas coisas fazem click ao fim de tanto tempo...

Foi o que aconteceu hoje comigo quando ouvi (talvez pela centésima vez) a música "Soulmate " da Natasha Bedingfield .

Acho que só naquele preciso momento prestei atenção à letra. Até aí tinha gostado da música mas não tinha interiorizado a mensagem.

Acho que todos procuramos a nossa alma gémea , como diz o refrão:

 

Who doesn't long for someone to hold

who knows how to love you , without being told

somebody tell me why I'm on my own

If there's a soulmate for everyone "

 

Realmente acho que este refrão resume tudo.

Alguém a quem abraçar

Alguém que me saiba amar sem ter que perguntar como

Alguém que me ame pela pessoa que sou e não por quem gostaria que eu fosse

Que conheça todos os meus defeitos e os aceite, porque ninguém é perfeito e no ser humano os defeitos são sempre mais pesados que as qualidades

Esta é a minha definição de alma gémea - compatibilidade e aceitação e não igualdade.

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me:
tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 17:38
link do post | diz lá... | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

A memória

Poesia do beijo...

Não importa...

"Rose tinted spectacles"

Dia de São Valentim

Soulmate

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

Os que acompanham os meus dias

Free Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds