Quarta-feira, 30 de Março de 2011

"Fuckin' perfect"

Esta música é absolutamente fabulosa.

ADORO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 23:07
link do post | diz lá... | favorito
|

Mudança de hora...

" Estratégias eficazes para evitar transtornos que possam perturbar a sua rotina diária

 

Sempre que o calendário aponta uma nova mudança de hora, muitas são as pessoas a experimentar algum tipo de transtorno que afecta a sua dinâmica diária durante os primeiros dias após a transição.

Cansaço, dor de cabeça, desorientação, ansiedade, irritabilidade, indigestão, transtornos estomacais, insónias nocturnas e sonolência durante o dia são apenas alguns dos sintomas que perturbam muita gente em época de alteração de horários.

Para os combater, a Albenture, empresa especializada na conciliação da vida pessoal e vida laboral, sugere:

- Durma bastante nos dias anteriores à alteração de horário.

- Deite-se uma hora antes do seu horário habitual uns dias antes da alteração.

- No dia da mudança de hora, levante-se quando o seu relógio marcar a hora habitual de despertar e saia à rua. Deixe que o sol indique ao seu corpo que já é de dia.

- Adapte o seu horário das refeições e de sono o mais rapidamente possível.

- Se costumava almoçar à uma da tarde, mantenha este hábito no novo horário. O mesmo se aplica na hora de se deitar.

- Se se sentir sonolenta, e se puder, considere a possibilidade de fazer uma breve sesta (menos de 30 minutos). Os efeitos reparadores da sesta são bem conhecidos.

- Evite a cafeína e outros estimulantes.

- Se tiver o hábito de praticar exercício, continue a praticá-lo. Se não for o seu caso, é uma boa altura para começar. " (in Sapo Saúde)

 

Ora bem, está explicado o motivo de eu andar a dormir em pé...tudo culpa da mudança de horário.

Acho que este artigo é interessante sim senhor, mas podiam ter-se lembrado de o publicar na semana anterior à mudança de horário, ou não?? Ou então deveria antes ser "Estratégias para compensar os efeitos da mudança da hora".

Como é que eu posso hoje dormir bastante nos dias anteriores à mudança da hora, se a hora já mudou no fim-de-semana passado?

Bah!!!

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 11:18
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Março de 2011

...

Hoje, ou melhor esta semana deu-me para pensar um pouco sobre algumas coisas, relacionadas com a minha maneira de ser e a forma como vivo os relacionamentos e como convivo bem ou mal com algumas características da minha personalidade.

Sempre tive muito receio de cortes relacionais; de magoar, que deixem de gostar de mim, que me achem má pessoa, que fiquem chateados comigo... Nunca convivi bem com a ideia de que a ou b poderia não gostar de mim, e sempre tentei viver de forma a que as pessoas que me cercam ficassem felizes e orgulhosas.

Ora isto é extremamente cansativo!

O meu medo da rejeição levou-me à exaustão total.

Andei 35 anos e picos nisto, não admira que me sentisse extremamente cansada e vazia, porque no meio de tanto tentar ser perfeita (objectivo impossível de se alcançar) acabei por perder a noção do mais importante, do EU. Quem sou eu?

Sou a Mãe, sou a Filha, sou a Amiga, sou a...e EU?!

Só sei que ser EU é cansativo, porque se algumas pessoas nunca se questionam pelas atitudes que tomam, pelos pensamentos que têm, se fizeram bem ou mal, se magoaram x ou y, eu não faço outra coisa.

Mesmo quando finalmente consigo dizer o que me vai cá dentro, anunciar a minha indignação ou o meu descontentamento; dizer que estou magoada por isto ou por aquilo, logo de seguida salta cá para fora o meu "grilo falante" (que no meu caso mais deve de ser um dinossauro devido às proporções que tem...) e começo a pensar: será que fui injusta, será que ficaram magoados, será que vão deixar de gostar de mim, será que estou a ver as coisas de uma forma errada??? E depois continua para: estou a ser parva, de certeza que a intenção não era nada essa, sou mesmo má pessoa, e enfim... Começo por me questionar e depois acabo a martirizar-me.

Mas que raio de mania da perseguição.

Porque é que eu acho que os sentimentos dos outros são sempre mais legítimos que os meus?!!

Que têm direito a ficar indignados, magoados e eu não?!

Talvez o facto de nem sempre conseguir dizer o que penso e sinto com medo de magoar, leve a que quando finalmente o consigo fazer a coisa saía desproporcionada...

Esta é uma batalha em curso.

Não posso dizer que já tenha conseguido ultrapassar esta minha fraqueza. Não quero deixar de ser uma pessoa que se preocupa com os sentimentos dos outros e que se questiona. Porque acho importante que nos questionemos, afinal ninguém é perfeito, e ter essa certeza é muito importante para que possamos continuar a crescer e a evoluir enquanto pessoas, no entanto ambiciono conseguir ouvir melhor o meu coração e respeitar-me mais.

Tentar nunca prejudicar ninguém, mas primeiramente defender-me; defender o meu espaço, o meu EU.

Porque como diz uma grande amiga minha:"tu ês a pessoa mais importante da Tua vida"...

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 13:54
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Março de 2011

Posts pedidos...

Ora bem, quem não se lembra dos rubricas dos discos pedidos? Pois este post é mais ou menos do tipo: é um post escrito sob pedido.

Surge na sequência de uma conversa, em que me foi lançado o repto:"ora reflecte lá sobre este assunto e depois diz de tua justiça".

Confesso que tentei fugir um bocadinho a escrever, o que não é de todo normal em mim, mas é que o assunto não é linear.

A questão que me foi colocada foi: porque é que hoje não convives bem com esta situação, se no passado já viveste uma situação semelhante e não te incomodava particularmente??!

Ora aqui está uma bela pergunta.

Porque é que muitas vezes fazemos coisas que vão completamente contra as nossas convicções sem que isso nos incomode, enquanto noutras causa em nós um grande dilema interior?!

Muitas vezes questiono-me sobre isto. Será isto falta de coerência, de carácter?!

Acho que durante alguns períodos da minha vida andei um pouco à nora, perdida...sem saber muito bem que rumo tomar. Nessas situações não fui leal a mim própria; não agi de acordo com a minha consciência nem de acordo com o meu coração. Fui fraca! Não me amei e por não me amar não respeitei as minhas convicções. Deixei-me ir na onda, numa onda que não era a minha.

Quando me apercebi de que a situação nada tinha que ver com o que queria e quero para mim, fui-me afastando e a partir daí fui-me distanciando das situações e das pessoas. Fui-me reencontrando e fui recuperando a minha auto-estima e amor próprio. Tornei-me uma pessoa mais forte, consciente daquilo em que acredito e do que quero para mim e para a minha vida.

Todo este processo foi necessário. Como a Fénix que se transforma em cinzas para poder voltar a renascer, também eu sinto que tive de bater no fundo do poço para poder reconstruir-me de uma forma mais sólida, para poder ser o que sou hoje.

E o que eu sou hoje é a pessoa que tu conheces.

Aquela que te ama profundamente.

Que quer construir contigo uma família.

Que se incomoda com o facto de não poder anunciar ao Mundo (ainda) que és o homem da sua vida...que gosta de tudo às claras, preto no branco, sem margem para dúvidas..  A pessoa que nunca deixou de te amar, mesmo quando não havia esperança.

Sou eu, assim: transparente, verdadeira, impulsiva, sem subterfúgios nem nada deixado por dizer.

Tudo o que eu sou, é tudo o que tu vês...aquilo que demonstro, aquilo que digo, e muitas mais vezes o que não digo mas que tu lês como se os meus pensamentos aparececem escritos numa qualquer página invisível. Sou aquilo em que acredito, sou o que defendo...aquilo que detesto, o que me irrita, o que me faz rir e o que me faz chorar. Sou o que penso mas muito mais o que sinto. 

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 16:47
link do post | diz lá... | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 15 de Março de 2011

Alma gêmea

Já aqui escrevi várias vezes em como acredito que nada acontece por acaso...

E se mesmo quando eu não conseguia entender o motivo de certos acontecimentos nunca duvidei disso, o que posso dizer hoje?! Como posso eu duvidar de que existe um qualquer plano supremo para tudo na vida, ou melhor, que a própria Vida é o tal plano supremo?! Que só não o distingue quem não consegue olhar com olhar crítico e quem não tem coragem de aprender com os próprios erros. Se conservarmos sempre o nosso espírito aberto e tivermos sempre vontade de evoluir, a vida será sempre uma maravilhosa viagem.

Não posso duvidar da existência de almas gêmeas... Como poderia?

Sempre acreditei que existiria no Mundo aquela pessoa que seria a minha metade, aquela pessoa que me iria compreender e amar como sou e porque sou como sou, e que eu iria amar da mesma forma. Aquela pessoa que acrescenta e não que diminui.

Porque partilhar uma vida não é deixarmos de ser nós para passarmos a ser como alguém gostaria que fossemos. Como podemos nós amar alguém e querer mudar essa pessoa ao mesmo tempo?! Isso não é Amor. Isso é egocentrismo, egoísmo, necessidade de atenção...sei lá, mas Amor definitivamente não será.

O Amor é o oposto disso.

O amor por definição nunca poderá ser egoísta, porque senão será tudo menos Amor.

Amar é querer a felicidade do outro mesmo que isso implique a nossa infelicidade.

Amar é partilhar tudo o que somos com a incerteza de o sentimento ser recíproco.

Amar é dar sem esperar nada em troca.

Passei toda a vida à tua espera... Durante muito tempo achei que os sentimentos que eu sentia dentro de mim talvez fossem fruto da minha imaginação fértil, ou como me chegaram a dizer "por eu ver demasiados filmes românticos"... Mas era como se eu já tivesse sentido esse amor; como se eu tivesse a certeza que este tipo de cumplicidade e partilha existem de verdade, como se já o tivesse vivido... Não sei explicar. Não sei se acredito em vidas passadas ou não, simplesmente acredito no que sinto.

E sei o que senti quando te conheci, ou melhor acho que o que senti foi que te tinha reconhecido. Foi aquela sensação de :"aí estás tu, encontrei-te". Senti isto através das nossas conversas, das horas passadas no café a falar sobre tudo e sobre nada, e quando finalmente a tua mão tocou na minha foi como se esse reconhecimento atingisse o nível molecular. 

Todo o meu ser te conhecia e te reconhecia como a minha metade.

Depois perdemo-nos e foi tão doloroso, como se me tivessem arrancado uma parte de mim.

Não consegui entender como é que tal coisa pudesse acontecer. Se nos tínhamos finalmente reencontrado, como é que podias ter deixado escapar essa oportunidade... Mas foi mais uma vez como tinha de ser, porque nada, mesmo nada, acontece por acaso. 

Tu tiveste de me perder, para saber que era a mim que amavas, e eu tive que te perder para ter a certeza profunda que nunca tinha amado, e que nunca amaria mais ninguém.

No fundo, tivemos de nos perder para que nos pudéssemos voltar a encontrar... 

Ouvi no outro dia falar sobre as almas gêmeas...que são almas que são separadas e que se procuram durante toda a vida, durante várias vidas...que muitas vezes se perdem, mas que nunca deixam de se procurar, e quando finalmente se encontram nada nem ninguém as consegue separar, e nesse momento o AMOR é vivido em toda a sua plenitude, por fim... 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 13:37
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Março de 2011

Home

Hoje dei comigo a pensar nesta palavvra e nos seus vários significados... Casa, lar, local onde se vive...

A meu ver a palavra "Home" é talvez a equivalente em questões de intraduzibilidade (acho que acabei de inventar uma palavra) à nossa bem portuguesa palavra Saudade. Não existe tradução para a palavra saudade, para a força dos sentimentos que comporta. Em nenhuma outra língua se consegue exprimir com várias o poder que essa única palavra tem.

Dei hoje comigo a pensar que "Home" tem essa mesma força, que não consigo sentir na palavra casa... "Home" é muito mais que um espaço físico onde descansamos do dia-a-dia, onde acumulamos as toneladas de coisas de que nos rodeamos ao longo da vida (porque afinal, coisas não passam disso mesmo, e mesmo que nos tragam lembranças queridas ou doloridas, não precisamos efectivamente delas para continuarmos a ter as lembranças).

"Home" pode ser uma cidade, um conjunto de emoções...

Aquele sítio onde nos sentimos em paz, o nosso refúgio...pode ser um abraço.

"Home is where the heart is..."

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 22:57
link do post | diz lá... | favorito
|
Terça-feira, 8 de Março de 2011

"Rolling in the deep"

Esta música é fabulosa. Tem uma batida poderosissíma...

Poderosa, forte, profunda...como o meu amor por ti!!!

 

vivido por umdiadepoisdooutro às 19:15
link do post | diz lá... | favorito
|
Quinta-feira, 3 de Março de 2011

"Não desistas de mim" - Pedro Abrunhosa

A porta fechou-se contigo
Levaste na noite o meu chão
E agora neste quarto vazio
Não sei que outras sombras virão
E alguém ao menos me diz

Há um perfume que ficou na escada
E na TV o teu canal está aberto
Desenhos de corpos na cama fechada
São um mapa de um passado deserto
Eu sei que houve um tempo em que tu e eu
Fomos dois pássaros loucos
Voamos pelas ruas que fizemos céu
Somos a pele um do outro

Não desistas de mim
Não te percas agora
Não desistas de mim
A noite ainda demora

Ainda sei de cor o teu ventre
E o vestido rasgado de encanto
A luz da manha e o teu corpo por dentro
E a pele na pele de quem se quer tanto

Não tenho mais segredos
Escondi-me nos teus dedos
Somos metades iguais
Mas hoje, só hoje
Leva-me para onde vais
Que eu quero dizer-te

Não desistas de mim
Não te percas agora
Não desistas de mim
A noite ainda demora

E não desistas de mim
Não te percas agora

 

 

Lindíssima!!!!!!!!!!!!!!!!

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 11:03
link do post | diz lá... | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

Os que acompanham os meus dias

Free Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds