Terça-feira, 31 de Março de 2009

Ora nem mais!!!

Recebi este texto por email, e resolvi publicar e partilhar porque (óbvio) achei que o Sr. tinha uma certa (total) razão, e faz sempre bem ao ego.

 

"Antes as mulheres
08.03.2009, Miguel Esteves Cardoso Ainda ontem

 

Só quando os homens chegam a uma certa idade é que podem dizer com certeza que as mulheres são melhores do que eles em tudo - mesmo na bola, a carregar pianos, a lutar com jacarés ou nas outras coisas em que ganhávamos quando éramos mais novos e brutos e fortes.
Quando se é adolescente, desconfia-se que elas são melhores. Nos vintes, fica-se com a certeza. Nos trintas, aprende-se a disfarçar. Nos quarentas, ganha-se juízo e desiste-se. Nos cinquentas, começa-se a dar graças a Deus que seja assim. Os homens que discordam são os que não foram capazes de aprender com as mulheres (por exemplo, a serem homenzinhos), por medo ou vaidade ou estupidez. Geralmente as três coisas.
Desde pequenino, habituei-me que havia sempre pelo menos uma mulher melhor do que eu. Começou logo com a minha linda e maravilhosa mãe, cuja superioridade - que condescendia, por amor, em esconder de vez em quando - tem vindo a revelar-se cada vez mais. As mulheres são melhores e estão fartas de sabê-lo. Mas, como os gatos, sabem que ganham em esconder a superioridade. Os desgraçados dos cães, tal como os homens, são tão inseguros e sedentos de aprovação que se deixam treinar. Resultado: fartam-se de trabalhar e de fazer figuras tristes, nas casas e nas caças e nos circos. Os gatos, sendo muito mais inteligentes, acrobatas e jeitosos, sabem muito bem que o exibicionismo vão leva à escravatura vil.
Isto não é conversa de engate.

É até um tira-tesões.

Mas é a verdade.

E é bonita. "

 

 

tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 14:16
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 28 de Março de 2009

Divulgação

Como já se devem ter aperceido os que por aqui passam com alguma frequência, eu gosto de ler.

Não leio tanto como gostaria, mas adoro e sempre adorei.

De vez em vez coloco aqui uma referência ao livro que terminei de ler (infelizmente essas rubricas são cada vez mais espaçadas já que demoro cada vez mais tempo a terminar um livro...), pelo que resolvi divulgar aqui o blog recém criado de uma grande amiga que tem como finalidade comprar e vender livros em segunda-mão.

Chama-se o Alfarrabista e podem visitar em :

 

http://contamehistoriasalfarrabista.blogspot.com/

 

 

Para quem gosta de ler e não resiste a comprar livros, pode encontrar aqui algumas boas oportunidades.

Há que enganar a "crise".

 

Boas leituras!!

 

 

Não li, mas achei que o título se enquadrava neste post...

vivido por umdiadepoisdooutro às 22:25
link do post | diz lá... | favorito
|

Do it! Magic Colours

 

GOSTO!!!

vivido por umdiadepoisdooutro às 08:51
link do post | diz lá... | favorito
|
Terça-feira, 24 de Março de 2009

"Determinação"

Recebi hoje um email sobre a determinação, com algumas imagens onde se vê um caracol a atravessar um vão entre duas tábuas de madeira (juro que tentei colocar aqui as imagens mas não consegui), e que termina com a seguinte frase:

 

"Não fale sobre o tamanho dos seus problemas, fale sobre o TAMANHO da sua determinação para os resolver..."
 

E não é que é mesmo?!

Passamos (passo) grande parte da vida a lamentar-me de que estou insatisfeita com o rumo que leva a minha vida, que isto e que aquilo... que perda tão grande de energia, devia sim era pegar nessa energia e aplicá-la em coisas mais úteis, como em fazer da minha vida aquilo que quero que seja.

Mesmo que tudo não dependa de mim, 90%(80%, pronto) de certo que depende. Da minha atitude perante a vida, das opções e escolhas que faço ou deixo de fazer, de simplesmente decidir se fico sentada a lamentar-me ou se me levanto, sacudo a poeira da inércia, do comodismo e da auto-comiseração e ajo.



It's my life and its now or never, I ain't gonna live forever!!!
 

sinto-me: determinada
vivido por umdiadepoisdooutro às 10:10
link do post | diz lá... | favorito
|
Domingo, 22 de Março de 2009

"When Harry met Sally"

Ontem revi este filme no canal Hollywood. Apesar de já ser um filme com vários anos e de ser um bocado estranho observar os actores com as indumentárias muito fashion da altura, mas que hoje são, bem...estranhas, lol, não deixa de ser uma história extremamente actual.

A incessante busca do amor, da cara metade, daquele alguém que nos conhece por dentro e por fora e que mesmo assim quer ficar ao nosso lado, para sempre.

Acho que o que tem mudado neste tipo de história face à realidade, é que "o para sempre" tem sido alterado para "o enquanto durar".

Será que hoje em dia as pessoas querem assim coisas tão diferentes? Será que querem mesmo só as relações descartáveis? Ou será que no fundo andamos todos à procura da cara metade, mas com medo de encontrar porque depois aí teríamos vontade de nos comprometer para todo o sempre e se não resultasse lá voltava a frustração?!

Eu sei que sou uma romântica incurável, que continuo a acreditar que irei encontrar aquela pessoa com quem estou destinada a envelhecer e com quem me sentirei em "casa".

Mas à medida que o tempo passa e que invisto numa relação que depois não resulta, começo a pensar se não estarei enganada; se não estarei à procura não sei muito bem de quê, que nunca chegarei a encontrar, podendo pelo caminho descartar "o tal" porque simplesmente não o reconheci como sendo ele?!

Bem acho que como me disse uma amiga "don´t try to find love because it will find you!".

Tenho que cultivar a paciência...

O que me faz lembrar uma frase do filme que é qualquer coisa do gênero "when somebody discovers that he wants to spend the rest of his life with someone, he wants the rest of his life to start straigth away".

 

 

 

 

E depois deixo aqui uma música (repetida eu sei), mas que diz tudo!!

 

 

 

 

 

tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 07:55
link do post | diz lá... | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Março de 2009

"Rompendo com a estagnação"

"Rompendo com a estagnação

É chegado o momento, Mafalda, de romper com a estagnação. O Ás de Espadas transborda como arcano de conselho para você, hoje, sugerindo que você corte implacavelmente todas as coisas, pensamentos, hábitos e pessoas que não lhe servem mais e que procure sustentar seus pensamentos e opiniões, mesmo que isso signifique desencadear antipatia nos outros. Este é um momento de renovação em sua vida, de ideias novas que fervilham e você poderá tomar as iniciativas que tirarão sua existência da rotina e do tédio. Prepare-se para uma nova e deliciosa aventura e não se preocupe tanto em ter uma “personalidade simpática” nesta fase de sua vida. Há momentos em que a atitude mais sedutora é aquela que não prima pela docilidade, mas que se compromete com a verdade. É quando sabemos que não estamos sendo simpáticos, mas estamos sendo honestos. Ainda que não agrademos, não há como negar o notável poder sedutor da pessoa que age com integridade – mesmo quando age de uma forma superficialmente antipática.

Conselho: Ser fiel à verdade gera antipatias, mas muitas vezes é fundamental!"

 

Pois é, a verdade é que ao longo destes meus 34 anos de vida nunca fui capaz de romper com nada, simplesmente por receio de que as pessoas deixassem de gostar de mim.

Nunca soube lidar muito bem com o facto de poderem não gostar de mim. Sempre tentei fazer tudo para agradar, e agora (bem não propriamente agora, acho que já cheguei a esta conclusão há coisa de ano e tal) chego à conclusão de que passei uns belos anos da minha vida a agradar aos outros e não a mim.

Este último ano e meio foi um período muito cheio de acontecimentos, mas ao olhar para trás chego à conclusão de que andei em círculos e não em frente.  Vivi uma série de situações e emoções que nunca esquecerei, mas não consegui avançar.

Chega de andar em círculos. Mesmo que seja a passo de caracol tenho de recomeçar a andar em frente.

Hoje por acaso encontrei um caderninho meu onde e 2007 costumava escrever umas coisas e encontrei os objectivos a que me tinha proposto para 2008...

Não atingi nenhum, mas acho que verdadeiramente não me comprometi ou empenhei.

Continuei a cometer os mesmos erros do passado, a achar que um amor resolveria todas as minhas inseguranças e a minha falta de amor próprio; que reconstituiria a vida que idealizei na minha cabeça e que ficou interrompida e que finalmente seria feliz - Happy endidng como nos filmes côr-de-rosa.

Mas a verdade é que esse é um peso e uma responsabilidade muito grande para colocar sobre os ombros de alguém. Todos nós já temos uma história de vida, passado, problemas por resolver...

Todos temos as nossas fragilidades e os nossos medos.

Mas a verdade é que para ser fiél a mim mesma, á minha verdade, há situações com as quais não consigo viver, desculpa-me.

E já me estou a dispersar, como acontece frequentemente quando escrevo. Tenho que conseguir ter coragem para seguir em frente sem olhar para trás. as indefinições não são boas para ninguém. Tenho que olhar para mim e por mim.

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 09:57
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Março de 2009

Feira Alternativa de Lisboa

Já o ano passado aqui divulguei a Feira Alternativa de Lisboa, que se irá realizar no fim-de-semana de 27 e 28 de Março na Cordoaria Nacional.

Gostaria de aqui apresentar o programa mas tive dificuldades em aceder ao site...

Se for como no ano passado será composta por bancas de divulgação de produtos naturais, técnicas de meditação etc.

 

www.terraalternativa.com

 

Imagem:

 

Vamos ver se é desta que consigo ír.

vivido por umdiadepoisdooutro às 21:54
link do post | diz lá... | favorito
|

Gosto!!!

 

 

 

"Os braços sentem o que os olhos Vêm"...

tags:
vivido por umdiadepoisdooutro às 10:57
link do post | diz lá... | favorito
|
Terça-feira, 17 de Março de 2009

"Momento de agir"

 

 

A importância do controle emocional

O arcano da Carruagem emerge do Tarot como arcano conselheiro neste momento da sua vida, Mafalda, sugerindo a importância de um maior controle emocional e do entendimento de que antes de querermos ter poder sobre o que (ou quem) quer que seja, é fundamental ter domínio sobre nós mesmos. Saia da inércia, passeie, viaje, conheça gente. É chegado o momento de se pôr em ação na direção das coisas e pessoas que você almeja conquistar. O mais importante, neste momento, é se mover. Ao invés de esperar que as coisas aconteçam, faça acontecer! Quanto mais você esperar, hesitando, maior a chance das oportunidades se esvaírem. Em alguns momentos, precisamos ter o máximo de senso de oportunidade... e alguma velocidade!

Conselho: Momento de agir!

 

Sim, entendo. E sinto também que é exactamente do que preciso, mas o meu maior problema é que não sei em que direcção devo ír.

Se isto alguma vez já se viu, uma geóloga desorientada???!!

Preciso mesmo de encontar a minha bússola interior....

sinto-me: desorientada
vivido por umdiadepoisdooutro às 09:52
link do post | diz lá... | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Março de 2009

Regresso ao passado

Incrível como há coisas que nos fazem recuar, que deitam por terra certezas absolutas, que nos fazem sentir dores adormecidas.

Esta última semana e pelo menos até hoje, teve esse efeito sobre mim.

Fez voltar a abrir no meu peito o vazio da perda.

Voltei a sentir a separação, a solidão, e a sensação mais estranha que posso não ter perdido o AMOR da minha vida mas que com certeza, perdi a família "emprestada" da minha vida.

Não perdi os amigos, mas já não sou família apesar de todos me tratarem como se fosse. Mas "como se" não é o mesmo que "ser", e a verdade é que já não sou da família e isso é algo que me custa mais a ultrapassar que o divórcio do marido.

Existem pessoas que pensam quando se separam que nunca mais irão amar alguém, ou que perderam a única pessoa que os podia fazer felizes ou mesmo que tão cedo não se metem noutra. Eu nunca pensei assim e acho que nunca pensarei por mais tombos que possa levar.

Eu sou aquela pessoa que é apaixonada pelo AMOR. Eu tenho que amar. Não sei viver doutra forma.

Mas se isso nunca pensei, esta semana pensei bastante que mesmo refazendo a minha vida com alguém muito dificilmente encontraria uma família onde eu encaixasse tão bem como naquela.

 

"O que foi não volta a ser..."

 

 

 

 

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 23:10
link do post | diz lá... | ver comentários (1) | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

Os que acompanham os meus dias

Free Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds