Quarta-feira, 20 de Julho de 2011

Livros

Este livro (infelizmente) ainda não faz parte da minha lista de livros à espera de serem lidos. Este continua a fazer parte daquela imensa lista de livros à espera de serem comprados.

Tenho imensa curiosidade em o ler...Porquê? Talvez o facto de ser geóloga, ter estudado estes assuntos e ter feito na Faculdade um trabalho acerca do terramoto de 1755 me tenha avivado o interesse. A verdade é que de uma forma ou de outra, a maior parte de nós (Portugueses) foi sendo confrontado com o elevado risco sísmico a que Portugal continental está sujeito, e ainda me recordo de na escola secundária em Ciências da Natureza nos ensinarem quais as precauções que deveríamos tomar em caso de um sismo, bem como também me recordo qual o local que ocupava na sala (isto no 6ano do ciclo)...tínhamos todos um local para onde nos deveríamos dirigir em caso de sismo e todos os meses treinávamos para uma eventual emergência. Felizmente nunca foi necessário colocar o plano em prática, mas lembro-me de ter crescido com a ideia de que "mais dia menos dia, quando menos esperássemos seríamos atingidos por um novo terramoto". Mas adiante que já me estou a dispersar, voltando ao livro: tenho curiosidade em ler sobre como era Lisboa nessa época, como seriam as suas gentes, que tipo de sociedade seria aquela...extremamente temente a Deus e no entanto extremamente permissiva às tentações, de tal modo que consideraram o terramoto um castigo de Deus como punição pelos pecados cometidos pelos Lisboetas.

Tenho curiosidade em conhecer o lado menos científico da questão.

Aqui fica...

 

 

 

"Lisboa, 1 de Novembro de 1755. A manhã nasce calma na cidade, mas na prisão da Inquisição, no Rossio, irmã Margarida, uma jovem freira condenada a morrer na fogueira, tenta enforcar-se na sua cela. Na sua casa em Santa Catarina, Hugh Gold, um capitão inglês, observa o rio e sonha com os seus tempos de marinheiro. Na Igreja de São Vicente de Fora, antes da missa começar, um rapaz zanga-se com sua mãe porque quer voltar a casa para ir buscar a sua irmã gémea. Em Belém, um ajudante de escrivão assiste à missa, na presença do Rei D. José. E, no Limoeiro, o pirata Santamaria envolve-se numa luta feroz com um gangue de desertores espanhóis.
De repente, às nove e meia da manhã, a cidade começa a tremer. Com uma violência nunca vista, a terra esventra-se, as casa caem, os tectos das igrejas abatem, e o caos gera-se, matando milhares. Nas horas seguintes, uma onda gigante submerge o terreiro do Paço e durante vários dias incêndios colossais vão atemorizar a capital do reino. Perdidos e atordoados, os sobreviventes andam pelas ruas, à procura dos seus destinos. Enquanto Sebastião José de Carvalho e Melo tenta reorganizar a cidade, um pirata e uma freira tentam fugir da justiça, um inglês tenta encontrar o seu dinheiro e um rapaz de doze anos tenta encontrar a sua irmã gémea, soterrada nos escombros."

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 16:02
link do post | diz lá... | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

Os que acompanham os meus dias

Free Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds