Quinta-feira, 24 de Março de 2011

...

Hoje, ou melhor esta semana deu-me para pensar um pouco sobre algumas coisas, relacionadas com a minha maneira de ser e a forma como vivo os relacionamentos e como convivo bem ou mal com algumas características da minha personalidade.

Sempre tive muito receio de cortes relacionais; de magoar, que deixem de gostar de mim, que me achem má pessoa, que fiquem chateados comigo... Nunca convivi bem com a ideia de que a ou b poderia não gostar de mim, e sempre tentei viver de forma a que as pessoas que me cercam ficassem felizes e orgulhosas.

Ora isto é extremamente cansativo!

O meu medo da rejeição levou-me à exaustão total.

Andei 35 anos e picos nisto, não admira que me sentisse extremamente cansada e vazia, porque no meio de tanto tentar ser perfeita (objectivo impossível de se alcançar) acabei por perder a noção do mais importante, do EU. Quem sou eu?

Sou a Mãe, sou a Filha, sou a Amiga, sou a...e EU?!

Só sei que ser EU é cansativo, porque se algumas pessoas nunca se questionam pelas atitudes que tomam, pelos pensamentos que têm, se fizeram bem ou mal, se magoaram x ou y, eu não faço outra coisa.

Mesmo quando finalmente consigo dizer o que me vai cá dentro, anunciar a minha indignação ou o meu descontentamento; dizer que estou magoada por isto ou por aquilo, logo de seguida salta cá para fora o meu "grilo falante" (que no meu caso mais deve de ser um dinossauro devido às proporções que tem...) e começo a pensar: será que fui injusta, será que ficaram magoados, será que vão deixar de gostar de mim, será que estou a ver as coisas de uma forma errada??? E depois continua para: estou a ser parva, de certeza que a intenção não era nada essa, sou mesmo má pessoa, e enfim... Começo por me questionar e depois acabo a martirizar-me.

Mas que raio de mania da perseguição.

Porque é que eu acho que os sentimentos dos outros são sempre mais legítimos que os meus?!!

Que têm direito a ficar indignados, magoados e eu não?!

Talvez o facto de nem sempre conseguir dizer o que penso e sinto com medo de magoar, leve a que quando finalmente o consigo fazer a coisa saía desproporcionada...

Esta é uma batalha em curso.

Não posso dizer que já tenha conseguido ultrapassar esta minha fraqueza. Não quero deixar de ser uma pessoa que se preocupa com os sentimentos dos outros e que se questiona. Porque acho importante que nos questionemos, afinal ninguém é perfeito, e ter essa certeza é muito importante para que possamos continuar a crescer e a evoluir enquanto pessoas, no entanto ambiciono conseguir ouvir melhor o meu coração e respeitar-me mais.

Tentar nunca prejudicar ninguém, mas primeiramente defender-me; defender o meu espaço, o meu EU.

Porque como diz uma grande amiga minha:"tu ês a pessoa mais importante da Tua vida"...

sinto-me:
vivido por umdiadepoisdooutro às 13:54
link do post | diz lá... | favorito
|
2 comentários:
De Ana a 30 de Março de 2011 às 10:52
Olá!

Descobri o teu blog, comecei a ler e identifiquei-me muito com aquilo que acabaste de escrever. Também sinto o mesmo. Realmente é desgastante. Oiço sempre esse "grito falante", como tu o dizes. E fizeste uma boa pergunta porque é que os sentimentos dos outros são sempre mais legítimos? Não devem ser. Houve uma altura da minha vida que me assumi imperfeita :) e a partir daí os meus pensamentos melhoraram. Se as pessoas têm atitudes incorrectas comigo, a minha atitude após essa atitude vai ser a que eu sinto. Se eu tive de ouvir ou lidar com determinadas situações que não queria e essa pessoa fez-me passar por isso também tenho o direito de lidar da forma que me apetecer e se ela não gostar, azar o dela.
Por vezes isso não se torna tão linear por exemplo quando são amigos de longa data e temos medo que essas pessoas deixem de gostar de nós. Mas se realmente forem nossos amigos não nos aceitarão como somos? Se nós os aceitamos como eles são e temos que aturar determinadas coisas, eles também têm.
Na realidade comecei a tentar ser mais egoísta, mas um egoísmo em que primeiro lugar estou eu e depois vêm os outros. Nem sempre funciona mas as coisas vão mudando com o tempo. A tua amiga tem razão. Tu és a pessoa mais importante da tua vida :)

Espero que consigas mudar isso em ti mas nem tudo porque acho que nos torna mais humanos pensarmos nos outros e querermos dar o nosso melhor às outras pessoas.

Desculpa a invasão mas nunca pensei que houvesse alguém a sentir o que eu sinto :)
De umdiadepoisdooutro a 30 de Março de 2011 às 11:16
Olá,
ainda bem que passáste por aqui e obrigado pelo teu comentário. Sabe sempre bem sentir que não estamos sózinhos na forma de pensar ou sentir.
Volta sempre!
Boa semana!

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Dias recentes

"Clássico"

...

...

Por aqui...

Natal é...

Rendi-me!

reflexões

não te quero largar mais....

Férias...

Livros

Dias passados

Dezembro 2015

Outubro 2013

Dezembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Novembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

tags

todas as tags

favoritos

Um escândalo digno dos ta...

Memórias dos Pantufinhas ...

Em nome do Pai...

Sobreviver aos primeiros ...

Manual da Mulher Resolvid...

Testemunhos XXII

Como os empregos

Nudez

Adeus

Coisas do amor

Outras visões do mesmo Mundo

Os que acompanham os meus dias

Free Counter
Free Counter
blogs SAPO

subscrever feeds